Ingrediente da cerveja ajuda em pesquisas sobre Aedes aegypti no Piauí

Levedura atrai a fêmea do mosquito e os ovos são levados para estudo em laboratório.


Agentes de saúde em Floriano, na região Sul do Piauí, estão utilizando uma substância presente na cerveja para combater o Aedes aegypti, que transmite a dengue e a chikungunya. A levedura, na cerveja, é responsável pela fermentação da bebida e converte o açúcar em álcool etílico. já contra a dengue, a função do produto é atrair a fêmea do mosquito para que deposite ovos em paletas, que são enviadas para análise em laboratório.


A finalidade dos testes é observar a eficácia de inseticidas com o passar do tempo, já que o mosquito tem apresentado cada vez mais resistência aos larvicidas e outros produtos químicos. De acordo com Thales Rodrigues, diretor do Centro de zoonoses de Floriano, o trabalho é realizado neste período do ano para que a população possa se prevenir.


Aedes aegypti no laboratório da Oxitec, em Campinas. O mosquito é transmissor de doenças como a dengue, chikungunya e do vírus zika, causador da microcefalia.


"Os locais são estratégicos para que o mosquito possa pôr os ovos e facilitar a contagem desses ovos e eclosão dos próprios mosquitos", ressaltou. No último levantamento de índice rápido, foi constatado um estado de médio risco para a cidade. De janeiro a Junho, foram registrados 192 casos de chikungunya em Floriano.


Thales explicou que há um alto índice de infestação de chikungunya e dengue no município e provavelmente os larvicidas e inseticidas não estão fazendo o controle dos insetos. "Todo esse trabalho realizado pelos agentes de endemias tem que ser atrelado aos cuidados dos moradores", destacou.


De acordo com a Secretaria de Saúde do Piauí, cerca de 3.700 casos de dengue foram detectados no estado. Teresina, Oeiras e Parnaíba também estão entre os 113 municípios tiveram notificações.


Featured Posts