Mortes por dengue no país chegam a 693 e batem recorde antecipadamente

Óbitos registrados em oito meses de 2015 já superam marca anual de 2013. Com 1.516 casos por 100 mil habitantes, São Paulo é estado mais atingido.

Nos oito primeiros meses do ano, o número de mortes causadas pela dengue no país em 2015 foi de 693, e já constitui o maior índice anual desde que a doença começou a ser monitorada em detalhes, em 1990. O recorde anterior havia sido atingido em 2013, com 674 mortes.


"Foram confirmados 693 óbitos por dengue, o que representa um aumento no país de 70% em comparação com o mesmo período de 2014, quando foram confirmados 407 óbitos", afirma um boletim emitido pela Secretaria de Vigilância Sanitária ligada ao Ministério da Saúde. "A região Sudeste concentra 68,5% dos óbitos do país, com o maior número de óbitos registrados no estado de São Paulo", afirma o documento. São Paulo teve 1.516 casos por grupo de 100 mil habitantes registrados até agora, e perde em incidência relativa apenas para Goiás (1.979 casos/100 mil hab.).


Mais de 1,4 milhão de casos

Em 2015, foram registrados 1.416.179 casos prováveis de dengue no país (casos notificados com exceção dos descartados) até 29 de agosto. A incidência média da doença até agora para 2015 no país é de 699 casos por 100 mil habitantes.


O número de casos de dengue até o fim de agosto quase ultrapassou o recorde registrado em 2013, quando o país teve 1.452.489 ocorrências da doença.


Em nota, o Ministério da Saúde observa que manteve, durante todo o ano, sem interrupção, as ações para controle da dengue. "Entre medidas, citamos, como exemplo, a realização de curso online para profissionais de saúde, a atualização dos planos de contingência, visitas técnicas de monitoramento e discussão conjunta do manejo clínico de atenção à doença, além de campanhas de conscientização", afirma a pasta.


Featured Posts
Recent Posts